Podcrastinadores.S05E11 – Guardiões da Galáxia Vol. 2

Guardiões da Galáxia Vol. 2 estreou com sucesso de crítica e público, comprovando que James Gunn não teve um simples golpe de sorte com o primeiro filme da franquia. A nova produção, que agora está inserida na fase 3 do MCU, continua despreocupada com o resto do universo e mantém sua narrativa focada no desenvolvimento de seus personagens.  O que pode ser um responsável direto pelo sucesso do filme e pelo interesse do público nos heróis tão diferentes dos que já existe no portifólio da Marvel.

Para esse debate divertido, os Podcrastinadores convidaram Carlos Voltor e Mariana Cabral para analisar ponto a ponto de mais uma obra prima da Marvel, em um episódio repleto de SPOILERS. Prossiga por sua conta e risco. 😉

E você? Já conhecia os Guardiões das HQs? Conseguiu pescar todos os easter eggs do filme? Comenta aqui no post!


Links adicionais:


Um agradecimento a todos que suportam os Podcrastinadores, especialmente aos nossos padrinhos Adriano Cavalari, Alan Martins, Alan Tadini, Alberto Camilo, Alexandre Böhm, Alexandre Cavalcanti, Alexandre Mendes, Alexandre Moraes, Andre Estrela, Anna Cruz, Beatriz Cunha, Bianca Ramos, Camila Gildo, Carolina Lindoso-Neet, Caio Luiz Daemon, Carlos Eduardo Valesi, Carlos TenorioCésar Albuquerque Lima, Daniel Colicchio, Daniel do Nascimento, Diego Reis, Dierly Cordeiro, Eder Fabio Ribeiro, Eduarda Azevedo, Eduardo Canha, Eduardo Starling, Eduardo Tomazett, Elieverson Santos, Emílio Mansur, Felipe Rodrigues, Felipe Zabin, Fernando Althof, Fernando OliveiraFrancisco Zotto, Hugo Nanni, Isabela CaixeiroJosé Maria Leite, Juliano RibeiroKauê Lovecchio, Leandro Bezerra, Leandro Medeiros, Leonardo Amaro, Leonardo dos Santos, Leonardo Leão, Luis Alfredo Lopes, Luke Garcia, João Elias, Marcelo GuedesMarcelo Petego, Marcelo Rodrigues, Marco Antonio Linares, Marcos Alves, Mario Rocha, Maximiliano Guzenski, Murilo Zibetti, Odirlei Fidelis, Otavio Oliveira, Pedro Paulo PereiraRafael Montiel, Ricardo Pires Ferreira, Rodrigo Dunley, Rogério BittencourtRodrigo Montaleão, Rodrigo Mussi, Sérgio Salvador, Sidnei Santana, Thiago Cordeiro, Thiago Freire, Vitor Couto, Walter DiasWelyton Manoel, e Wilson Santos.

Ajude a manter o nosso podcast você também. Até com 1 real você ajuda a aliviar nossos custos fixos. Entenda melhor como ser nosso padrinho aqui, e tenha nossa gratidão eterna, além de alguns outros benefícios que você descobre clicando no link. 🙂


Participe você também escrevendo pra gente: [email protected]
Queremos saber quem é você que nos ouve: vá em facebook.com/podcrastinadores e mande seu Like lá.

  • Marcos Vinícius Feijó

    Ainda não escutei o episódio, mas queria dizer que achei as piadas com o David Hasselhof meio exageradas em relevância. Isso porquê ele não é muito conhecido fora dos EUA, muito menos pelas gerações nascidas dos anos 90 pra cá. Então é uma piada muito localizada, muito específica pra ter tanta importância no filme. No cinema onde assisti, toda vez que tinha uma referência a ele ficava um silêncio constrangedor, ninguém riu. Podiam ter escolhido alguém muito mais internacionalizado pra fazer essa running joke que dura o filme todo.
    Imagino que tem muita gente coçando a cabeça agora – que não entendeu quando o EGO mudou de corpo rapidamente virando o Hasselhof – se perguntando o que significa aquilo, tentando encaixar no plot da história sem perceber que era só uma piadinha que passou tipo ônibus lotado, indo pra Vila da Graça e o público nem conseguiu embarcar.

    Enfim, com esse textão parece até que não gostei do filme. Pelo contrário, é muito bom mesmo.

    • Minionpornor

      Cara, o Hasselhof é mito!! Ele está em Kung Fury (cantando o tema) aparece em Bob Esponja O filme e, espero que ele tenha participação em Baywatch, além de já ter sido o primeiro Nick Fury no cinema. Concordo com você, que nem todo mundo entende as piadas, assim como poucos entenderam a piada da Mary Poppins, mas, infelizmente, o Quill só viveu na terra até 1988, então, sempre tará apenas referências obscuras para as gerações mais novas, tipo Kevin bacon, no primeiro filme.

      • Issaê!

      • O Catedratico [Player Select]

        Isso ae… Zueira pela zueira… e muita metanfetamina!!! kkk

    • Eduardo Starling

      Na verdade não é uma referência gratuita. Antes dele aparecer, o Peter Quill menciona o David Hasselhof algumas vezes, inclusive fazendo link com a série Supermáquina, que embora as gerações pós 90s talvez não conheçam é uma referência forte dos anos 80, época do Quill na Terra.

    • GG

      Marcos, o Peter Quill é dos anos 80. Ele não viveu os 90 na Terra, então não tinha como ele ter uma referência mais atual. Pensa bem, quem mais poderia ter aparecido ali? O Magnum? Mas tirando uma meia dúzia de episódios de Friends, ele não fez mais nada. O Hasselholf pelo menos fez Baywatch por muito tempo ainda. Eu acho que eles acertaram sim na escolha.

      • Marcos Vinícius Feijó

        Bom, então deve ter sido só na minha cidadezinha de interior que ninguém conhecia o cara, mesmo.

        Na questão cronológica faz sentido.

    • Clemerson R Campos

      Ahhhhh cara. Não sei não. David Hasselhof apareceu no filme do Bob Esponja, essa galerinha nova deveria lembrar disso.
      Kkkk

      • Putz, ele esteve no filme do Bob Esponja? Agora sim vou ver o filme. hehehe

        • Minionpornor

          Mano, ele é um submarino humano, o peitoral do cara abre como comportas, somos todos Hasselhof!!!

          • Esse não… nem consigo imaginar hahaha

        • Minionpornor

          @[email protected]:disqus , se vc ainda não viu, veja o video clipe de Kung fury, cantado pelo David Hasselhof, é lindo.

        • O Catedratico [Player Select]

          Tiberio… vc é um menino… Como assim não viu Bob Esponja sendo salvo por Hasselhof?! rss

    • Reginaldo Ventura de Sa

      David Hasselhof está naquela lista de pessoas que são conhecidas em todo o mundo. Anos 80 e 90 devido a supermaquina e depois SoS malibu virou cult !!! O cara lançou um disco como cantor na Alemanha e no Japão virou brinquedo e jogo. Se ele só é conhecido nos EUA eu não sei o que mais ele tem para fazer!

  • Don Ramon

    O easter egg em questão é do primeiro Guardiões da Galáxia. Alguém disse que o ester egg não existe, por isso ninguém achou, mas James Gunn diz que existe e dará 100 mil dólares pro fã reclamão se realmente não existir.

    http://www.hollywoodreporter.com/heat-vision/guardians-galaxy-easter-egg-director-vows-pay-fan-100k-948710

    • Isso Don, eu que falei e confundi as bolas. Nem faz sentido ser do filme novo pq ninguém nem tinha visto o filme nos EUA ainda. Falha nossa!

  • Eduardo Starling

    Terminei de escutar agora.. Pena que (ainda) não posso recomendar aqui, pois o pessoal do trabalho com quem discuto filmes e séries ainda não viu o filme.

    Vi que vocês divagaram bastante sobre os poderes do Ego e o quanto isso impacta o Peter Quill. Pra mim pareceu que o Ego percebeu que a ligação do DNA dele com o DNA humano era algo poderoso (e os outros esqueletos mostram que ele tentou com outras raças e não deu certo), e essa “união” com o Peter se mostra poderosa quando as “sementes” espalhadas começam a germinar em vários planetas. Alguém (provavelmente o Voltor) faz referência a assimilação dos planetas, e acho que era isso: uma vez nascidas essas sementes, esses inúmeros planetas passariam a fazer parte da “entidade Ego”, aumentando seu poder. Outra evidência dessa combinação poderosa de DNAs: quando a Ayesha, líder dos Sovereign, flerta com Peter Quill logo no ínicio do filme, ela diz que sente que existe uma peculiaridade no DNA dele, que ela deixa pra “depois”.

    • Pô Edu, dá esporro nesse povo aí!! Como assim ainda não viu? Imperdoável! hahaha

      E cara, obrigado pelo resumo, a gente falou pacas pra dizer isso aí!

      Abraço.

    • Cara: hora de mudar de emprego.

  • Clemerson R Campos

    Fala Podcrastinadores e fãs!!!
    Deixa eu adicionar um pedaço de informação.
    Vcs falaram que a tecnologia de rejuvenescimento está melhorando cada vez mais. Porém, para o Kurt Russell, foi usada uma tecnologia antiga!!! O Rejuvenescimento foi feito usando maquiagem. Segue o comentário do Kurt Russell falando sobre isso:
    http://screenrant.com/guardians-galaxy-2-kurt-russell-young-deaged-not-cgi/

    Houve correções via CGI, mas não foram muitas não.

    • Valeu Clemerson. Nós colocamos um link sobre isso lá na descrição do episódio, mas de outra fonte. De qualquer forma tá valendo o acréscimo de informação.
      Brigadão.

  • Juliano Freire

    Mais um bom debate dessa galera massa! Vlw!

    • Valeu você, Juliano, por ter ouvido e aparecido por aqui! Volte sempre e ajude-nos a divulgar! Abs!

  • Minionpornor

    Um easter egg que não foi comentado: No momento em que o Ego começa sua dominação universal, “germinando” suas sementes, na cena da Terra, o avô do Quill aparece dentro de um carro, o ator foi envelhecido com maquiagem, mas é o mesmo que interpretou o personagem no primeiro filme, Gregg Henry, creditado apenas como “Grandpa Quill”.
    O cantor e diretor Rob Zombie está no filme, creditado como “Unseen Ravager” (????)
    Seth Green faz a voz do Howard the Duck .
    Também ouvi em algum lugar que o Flea, baixista do RHCP, está no filme, mas não achei ele e nem está creditado.

    • Cara, eles deram muita ênfase para aquela cena e pra quem estava dentro do carro pra não ser nada, só não tinha visto quem era.

    • Cara deve ter escutado sobre o flea pq tem aquele saqueador que fica escrotizando muito o Groot e o cara é muito semelhante ao baixista do RHCP. Mas será que é?

      • Minionpornor

        Eu fiquei na dúvida se era o Flea ou aquele cara do Robocop, que virou mingau no ácido, kkkk

  • Evandro De Mello Freire

    Olá pessoal, mais um ótimo episódio. Já que vou escrever muito, vou direto ao ponto com alguns comentários feitos no podcast e o que entendi sobre o filme:

    1) O Kurt Russell diz ser um Celestial e o fato de afirmarem que é mesmo que ser um Deus me parece muito mais algo figurado, uma forma do Universo referenciar seres tão poderosos e antigos, que destruíram planetas e até criam vida. No diálogo em inglês eles dizem “…like a god”, algo que seria “…como um deus”, não literalmente um. Inclusive nos quadrinhos sempre me pareceu ser esse o conceito e parece que o James Gunn segue a mesma lógica, apesar de mais sutil. Por falar em quadrinhos, neles o Ego é somente um ser cósmico, porém tenho a impressão que nos filmes todos seres cósmicos antigos e ultra poderosos serão Celestiais ou essa nomenclatura será usado como um termo genérico para essa categoria de entidade.
    2) O Ego diz que os poderes dos dois só funcionam no planeta quando está treinando Peter, reiterando a ideia ao afirmar que precisaria voltar ao planeta para não morrer e também quando está argumentando com Peter para não matá-lo.
    3) Apesar de Peter não ter poderes fora do planeta, a questão de conseguir segurar a joia não é necessariamente uma demonstração do mesmo poder de manipular matéria. No primeiro filme a Tropa Alpha diz que ele conseguiu fazer isso devido a genética, o que me faz pensar que seja uma questão orgânica, ou seja, o corpo dele simplesmente suporta esse poder. Além disso quando o Colecionador cita os Celestiais eles estão usando a joia para destruir um planeta, reforçando a ideia de que a genética deles aguenta aquilo e o Peter é meio Celestial.
    4) O objetivo do Ego não era destruir o universo, mas sim transformar tudo em Ego (e filho). É possível ver isso no momento em que ele explica o plano para o Peter e ainda a ideia se reforça quando vemos todos os planetas ficarem iguais à ele. Nos quadrinhos ele absorve outros planetas e matéria orgânica, imagino que no filme era fazer a mesma coisa, só que em escala muito maior.

  • Evandro De Mello Freire

    Olá pessoal, mais um ótimo episódio. Já que vou escrever muito, vou direto ao ponto:

    1) O Kurt Russell diz ser um Celestial e o fato de afirmarem que é mesmo que ser um Deus me parece muito mais algo figurado, uma forma do Universo referenciar seres tão poderosos e antigos, que destruíram planetas e até criam vida. No diálogo em inglês eles dizem “…like a god”, algo que seria “…como um deus”, não literalmente um. Inclusive nos quadrinhos sempre me pareceu ser esse o conceito e parece que o James Gunn segue a mesma lógica, apesar de mais sutil. Por falar em quadrinhos, neles o Ego é somente um ser cósmico, porém tenho a impressão que nos filmes todos seres cósmicos antigos e ultra poderosos serão Celestiais ou essa nomenclatura será usado como um termo genérico para essa categoria de entidade.
    2) O Ego diz que os poderes dos dois só funcionam no planeta quando está treinando Peter, reiterando a ideia ao afirmar que precisaria voltar ao planeta para não morrer e também quando está argumentando com Peter para não matá-lo.
    3) Apesar de Peter não ter poderes fora do planeta, a questão de conseguir segurar a joia não é necessariamente uma demonstração do mesmo poder de manipular matéria. No primeiro filme a Tropa Alpha diz que ele conseguiu fazer isso devido a genética, o que me faz pensar que seja uma questão orgânica, ou seja, o corpo dele simplesmente suporta esse poder. Além disso quando o Colecionador cita os Celestiais eles estão usando a joia para destruir um planeta, reforçando a ideia de que a genética deles aguenta aquilo e o Peter é meio Celestial.
    4) O objetivo do Ego não era destruir o universo, mas sim transformar tudo em Ego (e filho). É possível ver isso no momento em que ele explica o plano para o Peter e ainda a ideia se reforça quando vemos todos os planetas ficarem iguais à ele. Nos quadrinhos ele absorve outros planetas e matéria orgânica, imagino que no filme era fazer a mesma coisa, só que em escala muito maior.

    • Boa Evandro! Valeu pelo complemento!

      Só acho que no item 4, ele queria transformar tudo em Ego e dane-se o filho. Ia acabar virando pasta também. hehehe

  • Samantha Salomao

    Mariana LACRANDO já na abertura! <3

  • Carla Gois

    Gente!!! Que delícia de episódio!

    Adorei a Mariana Cabral ter participado de novo! Se bem que agora vou chamar ela de Mariana CaBURP, posso? 😃

    Tenho uma pergunta pra vocês. No audio inicial, os personagens parecem ser bem mais sérios. Foi só uma impressão, e nos quadrinhos eles também são engraçados? Ou foi uma liberdade só usada no cinema?

    Ah, AINDA BEM QUE VOCES CONTARAM A HISTORIA DO GORDINHO!! Eu estava MOOOOORRTAA de curiosidade quando vocês levantaram o assunto e não continuaram! Rsrsrsrs 😊

    Inclusive, foi muito legal no blooper na hora da aventura do Caruso no cinema com o gordinho reclamão, constatar que todos aqueles nomes famosos do podcast também estão juntos com vocês no offline também. A história ia passando, e vocês iam falando que estão junto de Carlos Voltor, Azagal, Miranda, Gordirro… muito legal isso!

    • Olá Carla, quanto tempo! Estávamos com saudades!

      O áudio inicial é da série animada “Os Vingadores: Os Super-Heróis mais Poderosos da Terra”. Essa equipe mostrada ainda não era exatamente igual a atual e não tinha o clima mais descontraídos que eles possuem atualmente (podemos até dizer que é influência do filme).

      De qualquer forma, não são tão escrachados. Tem uma piadas até, mas ainda é mais sério que o filme. Tem exceção, o Rocket possui uma HQ própria e é praticamente uma caricatura.

      Ah, Azagal não tava com a gente não…

      Beijos

      • Carla Gois

        Ué, de onde eu tirei Azagal então??
        Tô ficando doida.
        Bjks

        • Jaime – o agente bom de corte

          Alguém fala que o Gordinho careca era o Azaghal, mas eles desmentem e falam que não era ele. Deve ser por isso.

          • helvecioparente

            O Azaghal foi citado, mas não estava lá. Se não me engano, nossa fileira tinha Tibério, Caruso, heu, Miranda, Gordirro e Voltor, nessa ordem. E depois fomos todos almoçar (menos o Gordirro).
            GG disse que tinha compromisso em SP e não quis vir…

          • Jaime – o agente bom de corte

            Foi o que eu disse.

          • GG

            “Não quis vir”. É, eu tinha uma coisinha chamada VIDA em São Paulo pra fazer. 🙂

  • Pedro Paulo

    Fala galera, que filme do K7, e esse episódio não fica atrás!!! Eu fui com muita expectativa para o cinema, e o resultado superou com louvor, já digo que eu achei a melhor sequência desde o Soldado Invernal.

    James Gunn fez o filme exatamente como ele queria, ele “pirou” em todos os sentidos possíveis, sendo que deu pra notar que é algo que ele vinha segurando desde o primeiro filme, que por ser introdutório, ele teve de dar uma leve segurada, mas no Vol. 2 ele consegue mostrar toda a sua loucura ao melhor estilo George Miller com LSD. Que legal ver um diretor tão competente ter a chance de fazer sua obra da maneira como sempre quis, mesmo em meio à todo esse Universo construído há anos no cinema, com várias restrições de liberdade aos diretores, acredito que por ser um Universo tão a parte como é esse Cósmico, ele teve uma grande sorte de poder colocar um pouco da sua própria essência neste dois filmes, seja nas particularidades dos personagens, seja na trilha sonora.

    O que mais gostei neste filme foi o fato dele andar pra frente e nos fazer sentir parte deste grupo, como um membro de uma banda, o que nos faz reagir as situações do filme como os personagens, um exemplo é quando o Ego revela que foi culpado pela morte da mãe de Quill, acredito que todo mundo no cinema atirou no Ego junto com ele. Agora falando do vilão principal em si, sou suspeito pra falar, pois sou fã do Kurt Russell principalmente por seus filmes em parceria com John Carpenter que estão entre os meus favoritos, gostei muito do Ego, e pra mim foi uma grande surpresa ele ser o grande vilão, pois fui enganado por seu estilo descolado e que aparentava ser bem good vibe, mas foi muito condizente toda sua construção vilanesca, sendo que foi um dos melhores e mais ameaçadores em nível de impacto até aqui.

    Gostei muito da evolução que os personagens tiveram, como no caso o Yondu que teve todo um arco de redenção interessante assim como sua identificação com o Rocket, e sua morte ficará marcada como um dos momentos mais impactantes deste universo. A dupla Drax e Mantis foi um grande acerto assim como a solução da dupla Gamora e Nebulosa, mas Groot foi um show à parte, ele adolescente então, eu ri demais. Outra coisa bem bacana foi confirmarem que o Stan Lee é o mesmo cara em todos os filmes, muito bem sacado.

    Sobre a trilha sonora pra mim foi tão boa quanto a do primeiro filme, sendo que mesmo não tendo tantas músicas marcantes fora dos EUA, todas elas funcionaram e conversaram muito mais com o filme, destaco a canção The Chain no clímax que foi muito emocionante.

    Esse filme marca o que pode ser a melhor trilogia do Universo Marvel nos cinemas, sendo que já construiu seu legado e será tão marcante para as próximas gerações como foi e está sendo Guerra nas Estrelas, o que James Gunn fez nestes dois filmes e com certeza fará no terceiro ficará para a história, e mais uma vez dou meus parabéns pelo excelente planejamento da Marvel Studios e, tenho de dizer, que bom que Tony Stark conseguiu sair caverna.

    Sobre o futuro ainda torço que com o aparecimento dos Vigias a Marvel esteja preparando uma surpresa para à Fase 4 nos cinemas, principalmente com relação a um certo quarteto e principalmente seus vilões, que podem ser a próxima grande ameaça no após Thanos. Eu quero acreditar!!!

    Agora vou exercitar minha nerdice e colocar minha listinha dos melhores filmes da Marvel Studios na minha humilde opinião:
    Marvel Studios:
    1º Homem de Ferro
    2º Guardiões da Galáxia Vol.2
    3º Os Vingadores
    4º Guardiões da Galáxia
    5º Capitão América 2: O Soldado Invernal

    E por último ainda falando de Guardiões, mas não os deste filme, gostaria de indicar o filme russo de super-heróis “Os Guardiões(Zaschitniki)”, que apesar de genérico é bem peculiar e destaco os motivos que valem a conferida: Russas+Ninja com teleporte+Russas+Dominador de Terra+Russas+Homem-Urso com Trabuco+Russas, enfim, fica a dica.

    E Caruso, a Marvel tem clássicos sim!!!

  • Yuri Sanguinetti

    Muito bom , estou curtindo bastante o podcrastinadores , difícil de pronunciar , mais fácil de entender , parabéns pelo trabalho , só uma ressalva , falem também de filmes pra adultos !

    Yuri Sanguinetti – CE

    • helvecioparente

      O que seria “filme pra adulto”? Adultos não podem gostar de filmes de super herois? 😉

      Mas, ok, veja que já falamos de Woody Allen, de Quentin Tarantino, de Black Mirror…Esses seriam de adulto?

  • Pedro Paulo

    Fala galera, que filme do K7, e esse episódio não fica atrás!!! Eu fui com muita expectativa para o cinema, e o resultado superou com louvor, já digo que eu achei a melhor sequência desde o Soldado Invernal.
    James Gunn fez o filme exatamente como ele queria, ele “pirou” em todos os sentidos possíveis, sendo que deu pra notar que é algo que ele vinha segurando desde o primeiro filme, que por ser introdutório, ele teve de dar uma leve segurada, mas no Vol. 2 ele consegue mostrar toda a sua loucura ao melhor estilo George Miller com LSD. Que legal ver um diretor tão competente ter a chance de fazer sua obra da maneira como sempre quis, mesmo em meio à todo esse Universo construído há anos no cinema, com várias restrições de liberdade aos diretores, acredito que por ser um Universo tão a parte como é esse Cósmico, ele teve uma grande sorte de poder colocar um pouco da sua própria essência neste dois filmes, seja nas particularidades dos personagens, seja na trilha sonora.
    O que mais gostei neste filme foi o fato dele andar pra frente e nos fazer sentir parte deste grupo, como um membro de uma banda, o que nos faz reagir as situações do filme como os personagens, um exemplo é quando o Ego revela que foi culpado pela morte da mãe de Quill, acredito que todo mundo no cinema atirou no Ego junto com ele. Agora falando do vilão principal em si, sou suspeito pra falar, pois sou fã do Kurt Russell principalmente por seus filmes em parceria com John Carpenter que estão entre os meus favoritos, gostei muito do Ego, e pra mim foi uma grande surpresa ele ser o grande vilão, pois fui enganado por seu estilo descolado e que aparentava ser bem good vibe, mas foi muito condizente toda sua construção vilanesca, sendo que foi um dos melhores e mais ameaçadores em nível de impacto até aqui.
    Gostei muito da evolução que os personagens tiveram, como no caso o Yondu que teve todo um arco de redenção interessante assim como sua identificação com o Rocket, e sua morte ficará marcada como um dos momentos mais impactantes deste universo e que fecha o excelente arco do Senhor das Estrelas, dando novas possibilidades para a sequência. A dupla Drax e Mantis foi um grande acerto assim como a solução da dupla Gamora e Nebulosa, mas Groot foi um show à parte, ele adolescente então, eu ri demais. Outra coisa bem bacana foi confirmarem que o Stan Lee é o mesmo cara em todos os filmes, muito bem sacado.
    Sobre a trilha sonora pra mim foi tão boa quanto a do primeiro filme, sendo que mesmo não tendo tantas músicas marcantes fora dos EUA, todas elas funcionaram e conversaram muito mais com o filme, destaco a canção The Chain no clímax que foi muito emocionante.
    Esse filme marca o que pode ser a melhor trilogia do Universo Marvel nos cinemas, sendo que já construiu seu legado e será tão marcante para as próximas gerações como foi e está sendo Guerra nas Estrelas, o que James Gunn fez nestes dois filmes e com certeza fará no terceiro ficará para a história, e mais uma vez dou meus parabéns pelo excelente planejamento da Marvel Studios e, tenho de dizer, que bom que Tony Stark conseguiu sair caverna.
    Sobre o futuro ainda torço que com o aparecimento dos Vigias a Marvel esteja preparando uma surpresa para à Fase 4 nos cinemas, principalmente com relação a um certo quarteto e principalmente seus vilões, que podem ser a próxima grande ameaça no após Thanos. Eu quero acreditar!!!
    Agora vou exercitar minha nerdice e colocar minha listinha dos melhores filmes da Marvel Studios na minha humilde opinião:
    Marvel Studios:
    1º Homem de Ferro
    2º Guardiões da Galáxia Vol.2
    3º Os Vingadores
    4º Guardiões da Galáxia
    5º Capitão América 2: O Soldado Invernal
    E por último ainda falando de Guardiões, mas não os deste filme, gostaria de indicar o filme russo de super-heróis “Os Guardiões(Zaschitniki)”, que apesar de genérico é bem peculiar e destaco os motivos que valem a conferida: Russas+Ninja com teleporte+Russas+Dominador de Terra+Russas+Homem-Urso com Trabuco+Russas, enfim, fica a dica.
    E Caruso tô contigo, a Marvel tem clássicos sim!!!

  • Leandro Gouveia

    Primeiro parabéns pelo podcast! É bom demais!!!!
    Segundo, quando o pessoal falou que gostou muito do rejuvenescimento do Kurt Russel, que eu também achei o melhor até agora, fiquei de cara quando vi numa entrevista ele próprio contando que não foi CGI!!! Era maquiagem!!!!!
    PQP!!!! Bem feito demais!!!
    Abraço
    Leandro

    • helvecioparente

      Acredito que ele tenha dito isso. Mas não acredito que seja verdade.
      😉

      • O amigo Clemerson comentou isso aqui em cima, com o link pra entrevista e tudo! Dêem uma olhada lá!

  • Thi Chab

    Caruso, a música “Pina colada” se chama “escape”
    Tem tudo a ver com a cena sim

    • Já nem lembro mais do que você está falando, mas vou dizer que não tem nada a ver não, só pela sua atitude.

      • Thi Chab

        Que horror
        Só queria manter o debate…
        😛
        Enfim, concordo contigo, caruso
        A marvel TEM clássicos

        • Hahahahahah AAAAAND estamos de volta!!!
          Concordo com você, cara! A música tem tudo a ver com a cena sim!

          • Mas é um vendido mesmo!!!
            hahahahahahahahahahahaha

    • Reginaldo Ventura de Sa

      Pois é. A musica tem tudo a ver com a cena.

    • LeoKbelo

      Ia falar isso!

  • O Catedratico [Player Select]

    Dizer que esse filme foi James Gunn muito viajado na metanfetamina. Prefiro o primeiro que é mais heroico. Mas gosto do direito que ele conquistou de fazer o filme mais “fora da formula” que a Marvel ja fez. Acho justo.

    Me incomodou um pouco a necessidade de repetir o tema “Familia” em cada um deles de forma separada. Acho ótima a ideia de desenvolve-los em separado, só o argumento poderia ser diferente pra cada um. Me pareceu repetição. E quando volta para o pai do Peter parece brega porque vc ja cansou. rs

    Por fim a sound track. Como foi dito ele usou pra contar a historia não pra contextualizar a ação como no primeiro. Foi uma opção que precisa da legenda pra se sustentar. Mas quero ressaltar que o tema principal é top 2 melhores “temas Heroicos da Marvel” que grudam e tem identidade. Difícil fazer isso em filmes de herói.

    Top 3 Temas Heroicos Marvel
    1 – Vingadores 2 – Guardiões 3 – Dr Estranho

    Pra terminar gostei de fugirem da formula Marvel, e dar liberdade ao Gunn. Gosto dele assim. Muita piada interna com sexo, video game, e serie retro. Piadas que só estão la pelo “no sense”. E na hora achei que o publico comum não entenderia. Tipo na mudança do Zorra Total para o Zorra (Abraço Caruso, e Vinicius Antunes)…Um humor menos pastelão, e mais zoeira pela zoeira.

    Abraço a todos. E queria muito que voltasse os textos do Caruso sobre HQs undergrounds. Achava que só eu era retardado pra ler aquilo… rs

    #AbacaxiVoadorForever

    • (Uma lágrima furtiva escorreu aqui, cara….)

      • O Catedratico [Player Select]

        Só não precisa dizer de qual olho rsrs

        Mas é sério… Volta com os textos.

  • Desapontadíssimo que durante o episódio citam que o Ego poderia ser um “titã” e ninguém sugeriu alguma música da banda para combinar com a trilha oitentista…

    E quem diria.. Então o Caruso é desses que fica… PAPEANDO durante o filme… E no combo, ainda daqueles que fica fazendo “shiiiu” na sala?

    • Minionpornor

      Na segunda vez que fui ver o filme, tinha um tagarela do meu lado, que narrava as legendas, (eu vi dublado) e tentava explicar as referências, mas não sabia nada…
      Já me deu raiva quando na primeira cena ele gritou: “É o Patrick Swayze!!!” quando apareceu o Kurt Russell rejuvenescido.
      PS: Me referi às legendas tipo nome dos locais, planetas etc.

      • Eu já mudei de lugar em sessão de cinema por conta de tagarelas. E uma vez chamei o “lanterninha” pra conter a bagunça na sala. 😛

        • Eu quase saí do lado do Caruso! hahaha

          • Nessas horas que a gente entende porque não se deve conhecer demais quem você é fã. Já pensou, toda a admiração pelo trabalho do cara pra descobrir que ele é um FREE TALKER de cinema que ainda por cima faz “shiiiu” e comete gordofobia contra carecas! 😛

          • Ah, vai dormir você tb, filadputa

          • Mas eu não sou careca!!! 😛

      • “É o Patrick Swayze!!!”

        Meldeus!!

    • FOI ELE QUE COMEÇOU!!!!

  • Mais um episódio de nível Galáctico (eita, já comecei fazendo trocadilho nível Caruso) parabéns para toda equipe e a ótima participação da Mariana (tá bom Voltor, a sua tbm). Só uma observação, contrariando as opiniões do GG e do caruso (se não me engano) a relação entre yondu e Quill já estava sendo construída desde o vol. 1 na minha opinião, (opinião pessoal, segundo o Helvis), principalmente na cena onde ele se dá conta que foi enganado e não está com a Gema do infinito e abre um sorriso do tipo “meu garoto”.

    • Entendi… Então para você “DESDE” = “ÚLTIMOS 4 MINUTOS DE FILME”.
      Claaaaaaaaaaro…..

  • Alan Antunes

    O filme aumenta as coisas boas do Vol. 1 (piadinhas, trilha tudo dentro do contexto do filme). Personagens carismáticos e muitas cores. Excelente entretenimento. Da Marvel é um dos melhores filmes, mesmo sem interagir com o universo Marvel estabelecido nos cinemas.
    Nas piadinhas com o Hasselhof, ri muito no cinema, aí olhei pro lado,os jovens não estavam rindo #estouficandovelho.
    Imagina o James Gunn dirigindo os Titãs ou Liga da Justiça cômica.

    • Hahahahaha Alan, saiba que, em alguma outra sala em algum outro lugar, todos nós estávamos rindo ao mesmo tempo das piadinhas do Hasselhof! #TamoJunto #AsiloRULES

  • Para quem já viu o filme, acredito que todos, taí um vídeo (em inglês) com 35 easter eggs do filme. Alguns bem diretos e outros mais obscuros, vale a pena o tempinho: https://www.youtube.com/watch?v=MvDwza-KXr4

  • Marcos

    Acompanho o mdm a mais ou menos 7/8 anos e essa é o primeira vez que ouvi outro podcast,a todo momento vc espera um vtnc que nunca vem.gostei

    • GG

      Salve Marcos, bem vindo! Mas vem cá, você gostou APESAR de nunca vir um vtnc ou gostou por causa disso? 🙂

      • Marcos

        É bom poder ouvir um podcast alto no quarto(ponto pra vcs),e mais Participações da Mariana que o nosso meio nerd necessita de mais opiniões femininas

        • Opa, então vamos tentar nos controlar mais ainda.
          “Perdão Sr GG, pode fazer o favor de introduzir o dedo em sua cavidade anal e movê-lo em sentido horário?”

          Valeu Marcos! Apareça sempre!

          • GG

            Ahaha. Conhecimento é tudo mesmo, né? O cara sabe exatamente como é que se faz pra se extrair a melhor experiência possível. 🙂

    • Hahahahahahaha Bem vindo, Marcos! Fica à vontade! E, se quiser… vtnc!
      Forte abraço!

  • Jaime – o agente bom de corte

    QUE FILME SENSACIONAL!!! Extremamente divertido. Assisti com minha esposa, a qual não havia assistido ao primeiro filme e mesmo assim se divertiu horrores.

  • Rivelino Cruz Do Nascimento

    Esse episódio ficou a altura do filme ou seja muito Bom , ao começar pelos Participantes Sou Fã do Carlos Voltor e o que é Mariana Cabral ? ao começar já pela Frase de abertura ,Uma mulher que arrota com tão Naturalidade e graciosidade ? ( achava que minha irmã era unica do sexo feminino fazer isso kkkk) e desde já Apoio ela p/ preencher vaga de elemento feminino FIXO nesse podcast de Nível e agora saindo da sessão “rasgação de ceda” e indo p/ Filme ( que foi tema desse episódio) um primeiro ponto que quero falar foi que foi levantado GG que esse filme que esse filme teve carga Dramática maior que primeiro e eu concordo com ele ,seja porque primeiro foi mais introdução dos personagem ou não no Primeiro o único que tinha seus dramas é Peter Quill, nesse segundo só Drax que esteva ali p/ ser válvula de humor, todos tinha seu Drama particular até o Yondu que era figurante ganhou ser drama e sua redenção nesse filme ,teve drama p/ todo lado desde Drama de familia ( Gamora e sua irmã ou Peter e Seu Pai) até medo de não se encaixar na equipe , de não ser bom suficiente ( Rocket Racoon )dos dramas só destaco mesmo do Yondu que nos apresento o personagem e mostrou que no fundo todos já sabia que ele foi de certa forma o Pai do Peter, outro fato interessante levantado por vocês a abertura do Filme é tanta informação que você não sabe se olha p/ Baby Groot dançando ou na luta contra Mega criatura espacial , confesso que nem me lembro como eles ganharam luta mas sei que BabyGroot ficou dando soco no Drax por ter quebrado som dele kkkkkk, outro fato levantado por vocês sobre poder do Peter herdado do pai dele , o Poder só funcionava no Planeta Ego , fora dali seus poderes sumiria ,talvez isso explica porque pai dele só poderia despertar do Planeta dele e com outro celestial só assim ele teria força suficiente p/ despertar as plantas que era extensão do corpo dele e absorvendo toda vida nos outros planetas , dois fatos que deixei passar sobre filme que descobri aqui , Primeiro quem era aquela dupla que estava lutando na parte que nave passa em direção planeta e Segundo que Michael Rosembaum o Melhor Lex luthor de todos tempos estava no filme e ele era quem ???? E que diria um filme da Marvel que tinha Stallone , Kurt Russel e David Hasselhof é fim dos tempos kkkkkk E se é p/ escolher um pai eu prefiro Jack Burton …..kkkkkkk, Abraços a todos

  • Radoc Lobo

    Fala galera, blz?

    Assisti ontem o Guardiões da Galaxia vol2 e só hoje ouvi o programa.

    Gostei muito do filme.
    A primeira coisa que me chamou atenção foi ter cenas que mostrassem o poder dos personagens.
    Voces falaram o que Youndu matou um exercito pq tinha uma arma overpower, O Rocket também detonou um grupo grande e, diferente do Youndu, eles não estavam relaxados, inclusive mostrando que o Rocket se garante na mão limpa, e o Drax se divertindo desmatando a Amazonia foi importante pq, até então, eu não tinha a dimensão do poder dele. No primeiro volume os detentos tinham medo dele mas o Smurf Alien não deve problemas no mano a mano.
    Uma coisa que vocês não comentaram é, para mim, a cena mais profunda do filme.
    Drax e Mantis estão conversando e já sabemos que ela tem o poder da empatia (gerando talvez uma participação no seriado do Hannnibal, no futuro). Quando Drax fala do passado com a filha, Mantis toca nele e subitamente chora, mostrando como ele é explosivo com as gargalhadas mas contido no sofrimento. A relação deles ficou muito legal. Mesmo com a piada dele dizendo que ela é feia, a gente tem que lembrar que ambos são alienígenas, então critérios de beleza podem completamente diferentes.

    • Tá um pouco atrasado, mas beleza. 😉

      Falou bem da relação Mantis x Drax. O cara é durão, uma emoção que faria outra pessoa chorar e ele tava lá… contido. A relação dos dois é muito inocente e, ao mesmo tempo, divertida.

      Sobre a “porcelana”, ainda acho que não necessariamente era algo literal, em vários quadrinhos existem relação entre raça alienígenas diferentes que geram um ser híbrido ou algo assim. Nos quadrinhos, o próprio Quill era pegador e tem relação com outras raças aliens, Gamorra a mesma coisa… Posso citar aqui o “Invincible” também que geram filhos híbridos.

      Valeu Radoc!

  • Ótimo programa, concordo com que o filme é muito bom, melhor que os 3 anteriores à ele, entrou no meu Top 5, só achei que esse filme teve uma oscilação muito grande de hora ser muito sério e um filme adulto, para um filme totalmente brincalhão e infantil, dois exemplos, Yondu, Rocky e Baby Groot rindo enquanto estavam matando geral na nave dos saqueadores, tenso/sério; Drax tirando sarro do Peter hora que a Mantis revela o “segredo” do Peter, aqui foi engraçado, mas beeeeem infantil.

    No filme anterior tínhamos um equilíbrio maior disso e eram mais sutis esses momentos, foi uma coisa que me incomodou, mas que não acredito que desvalorizou o filme, agora o que eu não gostei agora foram do Drax ser o grande escape humorístico do filme, com momentos cômicos que era evidente que era para ser cômico; gostava mais no anterior que era engraçado, não porque parecia ser uma piada encaixada, mas porque ele era o cara da roda de amigos que não entende nada, não tem noção das coisas, aquele amigo lerdão que ri de uma piada de duplo sentido apenas para acompanhar os amigos e fingir que entendeu, mas todo mundo percebeu que não entendeu.

    Enfim, um grande abraço, se cuidem.

    • Valeu Bruno.

      Eu, na verdade, prefiro o primeiro Guardiões… não sei se pela novidade, pela história… talvez seja mais equilibrado mesmo. Aliás, um roteiro que gira em torno de uma joia do infinito é melhor do que um roteiro em torno de quem é meu pai.

      Abraço

      • Concordo com vc, o primeiro é bem melhor, acho que também seria legal terem mostrado uma joia do infinito do que só “quem é o papai”.

  • LeoKbelo

    Fala galera!
    To viciado no podcast de vcs, e SIM, eu vim do podcast dos MDM (maldito Caruso).

    Episodio bem legal de um filme super legal.
    Meus dois centavos sobre o Segundo vs o Primeiro:

    (OBS: Uso a palavra “trauma” em um sentido mais “leve” se possivel. E desculpa pelo portugues tosco tbm)

    No primeiro filme o que gera ali e o trauma que tras cada personagem.
    Peter Quill lidando com o trauma de ver a mae morrer, de ser sequestrado e criado por bando de piratas alienigenas, etc
    Gamora lidando com o trauma familiar tbm, em relacao a Thanos e Nebula
    Drax, no lamento da morte de sua esposa e filha
    Rocket de ter sido um experimento, abusado
    e Groot, por ser Groot.
    O lance deles se unirem pra lidar com seus respectivos traumas, acaba fazendo do primeiro um filme um pouco mais complexo, que mesmo com uma boa comedia, faz o filme ficar um pouco mais serio que o segundo, na minha opiniao.
    O segundo, com o drama do Ego, nao me pegou tao bem como o lance da mae que teve no primeiro. Porra, galera, mae e mae!! Pai e qualquer um! (lol)
    ( E outro detalhe, PIREI PIREI PIREI qdo ele falou ” I’M A CELESTIAL!”, putaquemepariutresvezes!!!! O marvete dentro de mim quase deu um grito no cinema (ta bom vai…. eu dei o grito no cinema…)
    Entao a comedia come solta no segundo!
    Mesmo com a parte seria do filme (e.g. Peter/Ego/Yondu e Rocket/Yondu) o filme e muito mais comedia que o primeiro.

    Bem, e isso ai. Falei monte de merda e vou ficando por aqui!

    Continuem o bom trabalho e bla bla bla

    Abraco a todos!