Podcrastinadores.S04E27 – Star Wars: Rogue One

E fechando a quarta temporada do Podcrastinadores em altíssimo estilo, chegou a hora de falar do spin off do universo de Star Wars mais incrível de todos os tempos: Rogue One!

Gustavo Guimarães, Helvécio Parente, Tibério Velasquez e Eduardo Miranda irão falar sobre o que fez do filme um sucesso de crítica, público, as referências aos outros filmes, o que deu certo, o que deu errado  e muito mais. Imperdível!

Você é um fã dos clássicos ou dos novos? O filme superou suas expectativas ou esperava mais? Quem roeu a roupa do Imperador Palpatine? Não esqueça de deixar sua mensagem aqui pra gente!

Ouça e divirta-se!


Links comentados nesse episódio:


Um agradecimento a todos que suportam os Podcrastinadores, especialmente aos nossos padrinhos Abner Oliveira, Adriano Cavalari, Alan Almeida, Alan MartinsAlan Tadini, Alberto Camilo, Alexandre Cavalcanti, Alexandre Mendes, Alexandre Moraes, Andre Estrela, Anna Cruz, Beatriz CunhaBianca Ramos, Camila Gildo, Carolina Lindoso-Neet, Caio Luiz Daemon, Carlos Eduardo Valesi, César Albuquerque Lima, Chu Hamerski, Diego Reis, Dierly Cordeiro, Eder Fabio Ribeiro, Eduarda Azevedo, Eduardo Starling, Eduardo Tomazett, Elieverson Santos, Emílio Mansur, Felipe Rodrigues, Felipe Zabin, Fernando Althof, José Maria Leite, Leandro Bezerra, Leandro Medeiros, Leandro Tiefenbarher, Leonardo dos Santos, Leonardo Leão, Lionel Leal, Lisbino Carmo, Luis Alfredo Lopes, Luis Garavello, João Elias, Marcelo Petego, Marco Antonio Linares, Marcos Alves, Mario Rocha, Odirlei Fidelis, Otavio Oliveira, Pedro Paulo Pereira, Rafael Baldo, Ricardo Pires Ferreira, Rodrigo Dunley, Rogério Bittencourt, Rogério Manhães, Sérgio Salvador, Sidnei Santana, Thiago Cordeiro, Thiago Freire, Vitor Teixeira, Willian Castro, Wilson Santos e Ygor Souza.

Ajude a manter o nosso podcast você também. Até com 1 real você ajuda a aliviar nossos custos fixos. Entenda melhor como ser nosso padrinho aqui, e tenha nossa gratidão eterna, além de alguns outros benefícios que você descobre clicando no link. 🙂


Participe você também escrevendo pra gente: [email protected]
Queremos saber quem é você que nos ouve: vá em facebook.com/podcrastinadores e mande seu Like lá.

  • silas.

    Cara, eu também gostei do episódio VII. Onde vejo problema chato: na homenagem (ou cópia, se você preferir) demasiada. Deveria ser um filme mais livre.

    O Despertar da Força exagerou no uso da trilogia clássica como inspiração e pra fazer rimas visuais e narrativas. Mas não foi apenas com O Despertar da Força: a trilogia dos episódios de I a III também é cheia de rimas, repetições… que a galera ignora.

    Enfim, as questões sobre Star Wars de volta ao Cinema são simples: é preciso expandir os conflitos, ir muito além de Skywalker e EXCLUIR dos roteiros as estrelas da morte. Basicamente.

    • Ou pelo menos manter as Estrelas da Morte por mais de um filme. hehehe

  • Radoc Lobo

    Também gostei muito de Rogue One.
    Meu personagem favorito é o monge Jediolin que confia cegamente na força e no amigo, literal e figurativamente.
    Essa sempre foi uma coisa que eu senti falta, pessoas não Jedis que usassem a força de alguma forma.
    Colocar um cego como crente e um vidente como cético é uma analogia bastante direta mas funciona, afinal o cara que tem uma pontaria perfeita é alguem que observa muito.
    Também curti muito a aparição do Darth Vader. Quando ele está na ducha, a forma como primeiro aparecem os cabos, como chifres e depois a máscara, como olhos demoníacos vieram para dizer “crianças que não viram os outros filmes, esse aqui é o capeta”

    • Donnie Yen mandou muito e o personagem dele abre toda a mitologia dos Shamans e a Order of the Whills… algo mais no universo de SW a ser explorado.

  • silas.

    Eu vou querer um boneco do K-2SO. 🙂

  • Radoc Lobo

    Sobre a possibilidade de outros filmes, a gente nunca viu um Star Wars pelo lado do Império. o Hannibal abriu essa possibilidade como um espião infiltrado.
    Ah, não lembro quem comentou no programa sobre a falha de segurança da Estrela da Morte mas, tem uma porta de 2×2 que leva a um cano gigante numa nave que é do tamanho de uma lua, isso não é uma falha de segurança, por que os computadores não eram capazes de dar o tiro, a vulnerabilidade era a instabilidade que gerava uma reação em cadeia e, como alguém infiltrado, o CaiCílios não podia deixar ninguém saber que isso era possível. E sempre tem a possibilidade de mais alguém ter ajudado a criar essas brechas.

    • Eles mataram todos os cientistas… podiam estar todos ali em complô contra o Império né? Eles não pareciam nada felizes.

  • Darth Paul Poor Traaais

    Só esse podcast extraordinário pra me tirar dos afazeres do final de ano (sabe como é, trocar o cristal do sabre, já ficou meio fosco, etc) pra poder comentar.

    Pra começar o Eduardo Miranda já ganhou o meu respeito por falar sobre a Trilogia “Herdeiros do Império”. Algo que se perdeu para quem não gosta de boas histórias nessa “reformulação” do universo SW, com a desconsideração do Universo Expandido. Só que a Disney fica catando suas ideias no mesmo UE, distorcendo e tentando vender como criação dela. Tanto que na serie animada “Rebels” o Grand Admiral Thrawn está dando o ar de sua (des)graça. Um personagem incrível que acrescenta de maneira incontestável a série.

    Mas o Rogue One é um filme que acerta muito mais do que erra. A maneira que eles desenvolvem uma história que já havia sido mencionada porém nunca contada, ficou bem feita. A guerra ficou explícita de uma maneira que nem nos episódios II & III – Guerras Clônicas comendo solta! – pois investiu em qualidade ao invés da quantidade. Só não acho justo excomungarem a nova trilogia (epi I, II & III) pois apesar de errar pra cacete, ela nos trouxe as guerras clônicas, a Ordem 66, novos Sith, a série animada Clone Wars, etc.

    O epi VII é estragado principalmente pelo Kylo “Darth Faniquito” Ren. Comparar é só um exercício de paciência. Ainda estou torcendo para que todo o universo já mostrado em “The Old Republic”, com a guerra contra o império Sith. Só que a memória dos episódios I, II & III ainda está muito recente pra investirem em dezenas de personagens com sabres de luz pra lá e pra cá. Mas só o tempo dirá…

    O fan service não incomodou, apesar de achar que alguns momentos ficou meio exagerado. 1 exemplo: R2D2 e C3PO. Outras coisas, como a dupla de criminosos da cantina é uma referência excelente! Todo o trabalho de ambientar o filme no “velho” universo SW é maravilhoso. As naves, a tecnologia e tudo ao redor remetem perfeitamente ao clima dos episódios da trilogia clássica.

    Os personagens ficaram bem, apesar do pouco desenvolvimento dos mesmos. Realmente o sentimento de Band of Brothers ou Resgate do Soldado Ryan foram evidentes. E foi muito bem explorado. Agora é se lembrar deles com carinho…

    Enfim, o comentário está ficando gigante e ainda existe muito a ser dito. Pra finalizar eu só quero dizer que gostar da obra não significa não ter bom senso pra enxergar os problemas. Rogue One é 85% de acertos. Os erros não conseguem estragar de maneira alguma tanta coisa boa.

    • “NUNCA esperava ouvir o GG falar “POR FAVOR, PARA DE MORRER GENTE!”; Rogue One causando momentos épicos!”

      Hahaha, na verdade isso quem falou foi o clone bom dele.

  • Sensacional o podcast, só não concordo que o Episódio 7 seja uma porcaria como o Miranda diz, eu gosto muito dele e entendo porque não foi um filme que não se arrisco tanto em fazer coisas novas e se apegou a repetir muita coisa dos clássicos, eu acredito que seja justamente por causa do George Lucas e sua trilogia prequel, que quis fazer inovações demais e saiu aquela maravilha que foi, então já que é um recomeço, melhor usar as cartas marcadas do que o baralho novo na primeira partida e espero que nos Episódios 8 e 9 se arrisquem mais.

    Ai por causa dessa jogada no Episódio 7, abriu caminho pro público geral e os fãs da velha guarda ficar mais receptivo com o Rogue One, eu iria ver de qualquer forma o R1, afinal sou fã e veria até um filme do Jar-Jar Binks ou do Boba Fett, mas nós fãs da velha guarda não somos o algo principal dos grandes estúdios de cinema, mesma coisa quando se trata de filmes de heróis, por causa dessa jogada segura da Disney vamos ter mais filmes de spin-offs daqui para frente e toda uma nova trilogia e espero que muito mais filmes depois que finalizar a história dos Skywalkers.

    Agora eu concordo com o Miranda que o Rogue Onde te leva pro passado e te faz se sentir como na época que viu Guerra nas Estrelas pela primeira vez, que para mim foi um dos primeiros filmes que tenho na memória e que foi apresentado para mim pelo meu avô materno quando era moleque e que assistíamos muito juntos de minha mãe, que também era fã da franquia, ai depois de ver esse filme na pré-estréia já foi emocionante demais para mim porque esse é o primeiro filme que não verei ou conversarei sobre com ela, que faleceu no último dia 29 (novembro), então pode ser que meu lado emocional esteja afetando meu julgamento, mas já assisti de novo o filme e não mudou a minha opinião, Rogue One é um dos melhores filmes da franquia, junto da trilogia clássica.

    Ah… Também adoraria ver o Thrawn nos cinemas, ainda mais que agora reinseriram ele no novo cânone.

    • ô Venom, concordo sobre o Espidódio VII. Curto muito também.
      Agora realmente é ver como Rogue One vai influenciar o futuro da franquia, só que tenho medo do Thrawn em live action, prefiro deixar ele nos livros, quadrinhos e séries. 😉

      • Darth Paul Poor Traaais

        Thrawn é o vilão que SW precisa. O que ele consegue fazer ao longo da Trilogia de livros é assustador. mais ainda pelo fato de que ele conseguiu se esconder muito bem do próprio Palpatine, um xenofóbico dos infernos. Ainda bem que essa praga já foi devidamente despachada para o inferno…

      • Então né, Thrawn no universo dos cinemas seria complicado de colocar né? pensando bem agora, afinal, ele foi o único grande general do Império que não era humano, certo? Ai se chegar a ter um filme spin-off que se passa no período do Império e mostrar ele, acho que seria meio estranho e o grande público poderia ficar confuso, como tem ficado com o Rogue.
        Apesar de que já colocaram ele nesse novo universo, não sei como ele ficou agora e nem como fizeram a apresentação dele, não assisti nada do Rebels ainda e o novo livro do Zahn sobre o Thrawn do novo cânone não saiu aqui ainda traduzido.

    • Darth Paul Poor Traaais

      Só tenho uma coisa pra dizer: filme do Jar-Jar é igual a bater na mãe, ninguém quer ver isso e quem fizer estará errado desde sempre!

      • hahahahahahahahahahahahahahahaha
        Concordo, mas sempre vai ter um louco que acredita na zueira da internet, tu duvida mesmo que nenhum engravatado da Disney não chegou a mencionar numa reunião de planejamento?

        Mas se alguém for estúpido o suficiente para fazer, eu iria assistir, xingando até o último segundo do filme, mas assistiria, vai dizer que você não iria xingando e se perguntando “pq diabos fizeram um filme com o Jar-Jar? Pq?”.
        hahahahahaha

        • Darth Paul Poor Traaais

          Não pelo simples motivo de que me recuso a desperdiçar o meu tempo com algo que não tem como dar certo. Esquadrão Suicida está aí que não me deixa mentir…
          No meu comentário menciono isso, não é porque você gosta de algo que isso se torna perfeito. Da mesma maneira que algo que você não gosta não perde seus méritos… Menos o Jar-Jar! Quem gosta dele precisa ser apresentado ao meu sabre de luz, urgente!!!

          • Jar-Jar é tenso, tem muito fã dele escondido nas sombras, pode apostar que ao primeiro sinal de qualquer coisa que venha sair dele, esses fãs escondidos irão aparecer. rsrsrs

  • Lose yourself Éneas

    Star Wars Rogue One é o Esquadrão suicida que deu certo, a cena do Darth Vader me fez pular na cadeira do cinema, toda aquela tensão dele perseguindo os soldados é realmente bem feita, parabéns pelo podcast e continuem assim

    • Verdade, the real suicide squad!!

  • Sandmantj

    Sobre o efeito especial simulando o rosto da princesa Leia. Disseram que talvez leve 5 anos para ficar ultrapassado, pra mim leva 5 segundos, ta muito ruim. BTW mais alguém acha que Star Wars seria mais lógico se ficasse apenas em um sistema solar?

    • Será que não ficou “ultrapassado” porque você reconhece o rosto do personagem? Talvez alguém que não conheça não veja o CGI ali.

      E não, SW nunca seria apenas num sistema solar. O Império demoraria 30 minutos pra dominar tudo e onde se enconderiam os rebeldes? Isso foi a primeira coisa que veio a mente, mas tem mil outros motivos.

  • PatrickDamian

    Podcast Sensacional, Miranda Louco, discordo, fã que fã, sabe reconhecer oque há de bom em tudo, principalmente nos EP I II e III, Midiclórians, é apenas uma questão de interpretação, peço que todos ouçam o podcast http://castwars.com/kaminokast-081-desmistificando-as-prequels/, eu tive uma nova visão sobre isso, e não tira nada da religião, continua igual, Miranda não pode falar, que o EP 4 não tem barriga e porque naquela época era assim e tals, e não poder ter uma outra visão sobre isso, é apenas o modo que lhe explicam, e nesse podcast ai eu entendi direitinho, amo os 8 filmes, sei oque é ruim e bom de cada, porem não deixo de amar, e não fico cuspindo por ai que todos deve odiar, fã que é fã sabe entender oque funciona e oque não funciona, e sabe explicar aos outros, não só falar mal

  • PatrickDamian

    E outra, o Saw guerrena, não foi o primeiro personagem a sair da serie de TV e ir para o Filme, o primeiro foi o General Grievous

    • Patrick, quando o Grievous apareceu no Clone Wars do Tartakovsky ele já tinha sido criado para o filme. Ali foi uma introdução ao “grande” vilão que iria aparecer no episódio 3. O Saw não, foi realmente trazido de outra mídia (tv) para o cinema.

      Ah, outra personagem que saiu do UE foi a Aayla Secura que veio das HQs, mas no caso do podcast falamos mesmo do caminho animação -> cinema.

      Abraço.

      • PatrickDamian

        Entendi,
        a Aayla eu nem sabia, Muito bom
        Parabéns Tibério

        • Disponha! Quando quiser passa aqui pra gente trocar informações. Valeu!

  • Daniel do Amaral

    Podcast excelente, também não entendo esse ódio do Episódio VII, é tão simples de entender porque ele foi tão moldado em cima da própria franquia clássica, apresentar para toda uma nova geração essa saga espetacular que é Star Wars, não é o que o fã hardcore queria, mas a Disney tinha que trazer toda a “galerinha’ dela pra cá, no final das contas achei ótimo o resultado final, não sujou em nada a saga, coisa de velho ficar enchendo o saco com isso, mas o assunto é Rogue One e ficou do caralho, provando que eles vão honrar a saga como merece e pra mim acertaram em ambos.

  • Jax Teller

    Eu vivi para escutar alguém falando que o Forrest Whitaker está contido hahahaha ele tá over demais, pior atuação do filme disparada!!

    Quanto aos personagens, eu discordo do GG, o unico com qual eu me importei foi o K-2SO, de resto todos são rasos e desenvolvidos de forma preguiçosa pelo roteiro.

    No mais, o cast está ótimo, parabéns!!

    • Fala Jax! Com certeza o que mais sofri foi com o K2, mas a cena da dupla Chirrut e Baze também fiquei bolado. Já o “casal”, nhé, sei lá… Não me identifiquei nem senti carisma pelo Cassian.

  • João Eduardo Batista

    “qualquer coisa vindo da cabeça do George Lucas é melhor que…” meus ouvidos até sangraram

    • Hahahaha Também não concordo, mas não vamos comprar briga. 😉

      • João Eduardo Batista

        Hahaha ta tranquilo… “Treta” sadia. Mas ótimo podcast!!!!

  • Pedro Paulo

    Como é bom ir pra um filme sem hype e ser surpreendido com um filme honesto e que respeita toda a história dessa grande e magnífica saga, posso dizer que foi um dos melhores filmes de 2016 e um dos melhores de toda a franquia.
    Miranda me representa, estava torcendo pra que ele estivesse neste episódio e como sempre não decepcionou, concordei com tudo que ele disse e fui pesquisar muitas das referências que vocês citaram e realmente o filme possui muita coisa pra quem é fã hardcore, o que não é meu caso ainda.
    Só queria dizer que este filme estabeleceu um novo padrão para spin-offs, e se os próximos forem nesse nível ainda terá muita emoção pela frente. Eu vi esse filme após o falecimento da Carrie Fisher e ver o que eles fizeram naquele final teve um significado ainda maior pra mim,me emocionei muito, e olha que eu ainda estava me recuperando das excelentes e épicas participações do Tarkin e do Vader que vocês já falaram tudo, como foi bom ver aquele sabre e o lado negro da força cantando nos coitados do corredor.
    Um grande abraço a todos os podcrastinadores e toda a galera que podcrastina junto assim como eu, e que 2017 seja cheio de fortes emoções nos filmes e nas séries como foi 2016!!!

    • Fala Pedro Paulo, seu comentário passou batido aqui por mim…

      Você achou Rogue One o melhor filme de 2016? Então não perca o Podcrast Awards 2017!! Hehehe

      Mas obrigado pela mensagem.

      #CarrieForever

  • Jorge Augusto

    Salve podcrastinadores!

    Eu sou Jorge, tenho 33 anos, sou analista de suporte técnico e desenvolvedor de sistemas iniciante. Também sou podcaster, host / editor do AnimeSphere. Ganhei a indicação de vocês via o grupo de podcasters / ouvintes do Telegram.

    Gostei do episódio de vocês, e já deixo claro que gosto de todos os episódios de Star Wars por igual, indiferente de ser a trilogia clássica, a trilogia prequel ou os dois mais recentes, Episódio VII e Rogue One (que assisti no cinema e curti demais).

    Vi que vocês tem algumas posições bem fortes a respeito, e curti o debate de ideias.

    Grande abraço e até o próximo comentário.

    • Salve Jorge! 😉

      Obrigado aí pelo comentário. Ficamos felizes que tem curtido os episódios. Entrei lá no AnimeSphere e vou procurar um tema que eu entenda mais, não sou muito conhecedor de mangás e animes, mas gosto de algumas coisas.

      Por sinal, recomendo o episódio sobre Tokusatsus que fizemos ano passado.

      Abraço.